• Gov RJ

Text Size

25/04/17 - AgeRio participa de lançamento do Atlas Solar

Com a finalidade de promover o investimento em energia solar fotovoltaica e heliotérmica, bem como sinalizar seu interesse no desenvolvimento local da indústria fotovoltaica, o Governo do Estado do Rio de Janeiro, em parceria com a EDF Norte Fluminense, a PUC-Rio e a EGPEnergia, lançou a publicação Atlas Solar do Estado do Rio de Janeiro. A AgeRio participou do evento de lançamento.

O trabalho, que analisou dados de incidência solar em todo o Estado, estimula a implementação de sistemas fotovoltaicos e de aquecimento solar de água em pequena e média escala no Rio de Janeiro, aumentando o mercado local, e sinaliza o apoio do Estado a indústrias desta área que tenham interesse em se instalar aqui. O estudo pode ser acessado através do site www.atlasriosolar.com.br.

Para o superintendente da SUPAR, Edson Macedo, o material irá auxiliar na qualificação de concessão de financiamentos:

– A AgeRio faz parte do Programa Rio Capital da Energia para desenvolvimento da energia sustentável no nosso estado. Nesse contexto, temos buscado trabalhar financiamentos para projetos de ecoeficiencia. Além do mapa da energia solar no Estado, o Atlas Solarimétrico traz um amplo estudo sobre o tema, com suas aplicações e principais processos. Com isso, temos uma base mais fundamentada para aprimorarmos produtos de financiamento para o segmento.

O Atlas mostra que o Rio de Janeiro possuiu uma irradiação solar global anual que varia de 1.460 a 2.010 kWh/m². Em termos comparativos, a Alemanha, líder global na instalação de sistemas fotovoltaicos, possui um nível médio de irradiação solar de 1700 kWh/m².

– O Atlas Solar do Estado do Rio de Janeiro serve de referência para que o nosso potencial solar possa ser plenamente aproveitado. É uma importante ferramenta para a tomada de decisões no desenvolvimento de projetos solares e no planejamento de políticas públicas energéticas. O estudo faz parte do esforço governamental para a atração de empreendimentos do setor, como indústrias de fabricação de placas e painéis fotovoltaicos – disse o secretário da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, Christino Áureo.

No site do Atlas é possível fazer o download do estudo e, através de um simulador, gerar dados sobre tamanho do painel fotovoltaico, capacidade de geração e prazo de retorno do investimento.

Economia

Com o conhecimento da irradiação solar, é possível calcular, por exemplo, a economia na conta de luz com a instalação de um equipamento de energia fotovoltaica. Isso porque, desde 2012, qualquer brasileiro que esteja disposto a fazer o investimento, pode conectar à rede elétrica um micro ou minigerador fotovoltaico e receber créditos na conta de luz pela energia excedente produzida.

O estudo aponta que o Norte Fluminense, parte da Região dos Lagos e o litoral Sul do Estado são as áreas com o maior potencial para produção de energia solar fotovoltaica. A Região Serrana tem a menor capacidade de geração solar do estado, mas, mesmo nesse cenário, a implantação de um sistema fotovoltaico tem viabilidade econômica.

Atualmente, há 842 plantas de energia solar fotovoltaica operando em todo o Estado do Rio de Janeiro, conforme o Banco de Informações de Geração (BIG), da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O Estado é o quarto maior em número de instalações fotovoltaicas, ficando atrás apenas do Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais. A capacidade total instalada soma 5.322 quilowatts pico (kW). O maior projeto fotovoltaico do estado é o Maracanã Solar, de 360 kW, instalado pela Light no estádio do Maracanã. O projeto integra a carteira do programa Rio Capital da Energia.

Estímulo

O Estado do Rio de Janeiro reconhece a importância das energias renováveis e entende que oferece boas condições para a localização de indústrias deste segmento. Buscando incentivar o desenvolvimento do mercado local, o Governo do Estado do Rio tomou várias medidas de estímulo ao setor, dentre as quais diferimento na importação de equipamentos. Em consonância com resolução da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), o Governo também editou uma lei que cria um ambiente favorável à implantação de indústrias de equipamentos e materiais utilizados em sistemas de energia solar através, dentre outras medidas, da isenção do pagamento de ICMS, por um prazo de dez anos, sobre a energia elétrica gerada por micro (até 100 quilowatts de potência) e minigeradores (acima de 100 quilowatts e até 1.000 quilowatts) solares no Rio de Janeiro.

Mapa Solar no Município do Rio

Em agosto de 2016, o Governo do Estado lançou junto com a Prefeitura o Mapa Solar da cidade. O aplicativo permite identificar o potencial de geração de eletricidade nos telhados da capital fluminense. O estudo, inédito no país, mapeou 1,5 milhão de telhados e mostra que o potencial de geração fotovoltaica nas áreas mapeadas é maior que o consumo residencial da capital. O aplicativo pode ser acessado através do site http://mapasolar.rio.

No aplicativo, é possível conferir o potencial de geração fotovoltaica em telhados de edificações da cidade do Rio de Janeiro. Ele possibilita visualizar dados como a irradiação solar e a área disponível em cada edifício da cidade.

Conheça nossos produtos